Echoes on the Wall. Marco Godinho: Outro dia

Atrium

entrada: Condições Gerais

Echoes on the Wall

Marco Godinho: Outro dia

2015-09-12
2015-10-18
Curadoria: Adelaide Ginga

O projeto ECHOES consiste num ciclo de exposições individuais que reúne jovens artistas de origem portuguesa, a trabalhar e residir fora do seu país de origem. Artistas que apresentam, na sua maioria, um currículo construído com exposições realizadas no estrangeiro, onde têm ganho crescente reconhecimento, mas com pouco ou nenhum eco em Portugal. Ainda que a maioria destes criadores procure divulgar o seu trabalho no país natal, com a realização pontual de mostras, são de um modo geral pouco conhecidos e acabam por estabelecer maior contacto com importantes centros artísticos internacionais.

Durante cerca de um ano, o MNAC irá realizar um ciclo de mostras individuais na parede de fundo do atrium do Museu. É neste espaço de acolhimento que os visitantes são interpelados por trabalhos recentes ou inéditos de nomes da diáspora cultural portuguesa, que espelham as novas linguagens de criação artística contemporânea. O convite foi lançado a artistas lusófonos estabelecidos em países com comunidades portuguesas relevantes ou em crescente afirmação, nos cinco principais continentes de destino migratório. Valorizou-se uma visão plural com perspetivas culturais diversas e experiências artísticas distintas.

Sendo a arte uma área privilegiada para a abordagem de questões políticas, económicas, sociais, etc., estes “Ecos” propõem também a reflexão sobre questões pertinentes da atualidade: o reativar do impulso à emigração, as miscigenações sociais e respetivas hibridizações culturais, os diferentes modelos e parâmetros de integração e cidadania, a dicotomia no que toca à identidade e o surgimento de novas geografias emocionais. Esta iniciativa visa estabelecer a ponte entre as novas gerações de criadores portugueses que estão fora do contexto nacional e o MNAC como espaço de excelência no contacto com a arte contemporânea portuguesa e local de acesso à novidade que estimula novos olhares sobre o real.


de 12 de setembro a 18 de outubro

Marco Godinho: Outro dia


Marco Godinho é o terceiro artista a ser apresentado em exposição individual no âmbito do ciclo ECHOES ON THE WALL – artistas portugueses no estrangeiro.

A mostra intitulada “Outro dia“ remete para o conceito de tempo. De um tempo aberto, sem limites estanques, mas também de repetição. A passagem cíclica dos dias, que transita entre passado, presente e futuro, e que arrasta subjacente o desejo de mudança, de renovação. O conceito de espaço está subentendido e relaciona-se com um espaço em trânsito, o espaço do “Outro” na conotação antropológica de construção identitária.

Composta por quatro momentos, esta exposição inicia-se com a intervenção  “The Infinite House (House number)”. Este primeiro momento consiste na aplicação do número 8 na porta de entrada do Museu, rodado a 90⁰, como símbolo do infinito. Esta subtil intervenção artística no espaço exterior é quase imperceptível para o espectador inadvertido.

Dentro do espaço do Museu, a parede dedicada ao ciclo de exposições “ECHOES ON THE WALL” é ocupada por “Forever Immigrant”, uma criação que convoca a acção performativa. O carimbo com as duas palavras vai ocupando a parede branca e desenhando um nuvem, símbolo de movimento contínuo, mas também de sonho e utopia na luta pelos direitos humanos.

Sobre um plinto, repousa a obra em papel “Declaração Universal”. Marco Godinho tem vindo a trabalhar em versões linguísticas da Declaração Universal dos Direitos do Homem. O texto é copiado para uma folha de papel recorrendo a um método usado no século XIX. Daí resulta uma grelha geométrica de quadrados, visualmente semelhante a uma grade de arame farpado que “aprisiona” os chamados direitos fundamentais.

Por fim, “ET (O último diálogo possível)”, trabalho inédito que dá corpo a um filme e a um livro.

O livro ‘’ET” é um livro de artista, com o texto original em francês e a tradução em inglês. O texto edita o diálogo do filme com o mesmo nome. Trata-se de um diálogo entre o Espaço e o Tempo.

No filme, o diálogo é interpretado em francês, por dois atores que protagonizam o espaço ‘’E’’ (voz masculina) e o tempo ‘’T’’ (voz feminina), tem também legendas em inglês.

O filme, que dura 18 minutos, apresenta imagens filmadas em dois locais distintos: a fortaleza de Sagres com a rosa-dos-ventos, em Portugal, e o pêndulo de Foucault e outros instrumentos científicos que serviam para calcular o tempo, o ar, a humidade (…), no Museu de Artes e Ofícios, em Paris. Entre arte e ciência o filme trata de (simultaneidade entre as possíveis representações do espaço e do tempo).


Em Exibição

Imago 2021

Joakim Eskildsen

2021-10-14
2022-01-02
O MNAC é, mais uma vez, parceiro do festival Imago Lisboa, cujas propostas expositivas serão distribuídas por vários espaços da cidade e acolhe, na presente edição, o trabalho do fotógrafo, Joakim Eskildsen.
Exposição temporária

O artista do momento: o Homem do Paleolítico

2021-10-03
2021-11-25
No âmbito da participação nas Jornadas Europeias do Património, o MNAC apresenta uma exposição do cartoonista Luís Afonso
Exposição individual

Cursos de desenho e aguarela

2021-09-04
2021-11-06
Cursos de desenho e aguarela ministrados por Nelson Ferreira
Curso

O Caminho para a Luz porque Passa pela Luz

2021-06-22
2021-11-14
Com curadoria de João Biscainho, a exposição inaugural da nova Galeria Millennium BCP apresenta uma seleção de obras num diálogo entre as coleções do MNAC e do Millennium bcp, e de outras coleções nacionais e internacionais.
Exposição Coletiva

Ciclo “Mulheres Pintoras no Mundo Ibero-Americano” 2021- 2022

2021-06-17
2022-03-03
Ciclo de palestras que apresenta Pintoras que foram especialmente actuantes no Mundo Ibero-Americano e que ao longo dos séculos contribuíram para diminuir o preconceito de género e pôr fim a uma série de estereótipos no mundo das artes.
Palestras

Olhares modernos

O retrato em pintura, escultura, desenho (1910-1950)

2021-05-18
2021-12-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Cruzamento de olhares e o gosto por enquadramentos pictóricos na coleção do MNAC.
Exposição temporária

110 anos

2021-05-18
2024-04-01
Uma intervenção que celebra os 110 anos do MNAC.
.