David Strang: Tiny moments/light entropy
David Strang: Tiny moments/light entropy

MNAC

entrada: Condições Gerais

Live Interfaces

2014-11-20
2014-11-23
Curadoria: Adriana Sá

LIVE INTERFACES

INTER-FACE é a segunda ICLI - International Conference on Live Interfaces. A primeira aconteceu em 2012, em Leeds, Reino Unido. Em Lisboa, a programação incluirá instalações interativas, performances, comunicações orais, workshops e posters-demonstrações. A conferencia recebeu 105 candidaturas oriundas de 14 países, e a seleção foi feita por uma equipa internacional de especialistas. A INTER-FACE vai reunir muitos investigadores e artistas - desde jovens com carreiras emergentes, a pioneiros da música computacional e da composição interativa.
 
Os computadores são tabula rasa. A ação física é mediada pelo código do software, e o software é feito de acordo com teorias que implicam propósitos e critérios específicos. Por exemplo, uma interface pode aplicar o estudo dos nossos mecanismos naturais de perceção, de modo a criar uma sensação de interação “imediata”. Ou então, uma interface pode ser deliberadamente difícil, de modo a potenciar a expressividade musical. O problema é que tendemos a assumir as teorias implícitas no software como garantidas. No dia-a-dia habituámo-nos a ver os computadores como caixas negras e mágicas que nos poupam trabalho. Quando a caixa negra funciona esquecemo-nos das suas origens; quanto mais ciência e tecnologia se seguem, mais opaca e obscura se torna, e mais nos distanciamos da computação enquanto material criativo.
 
A INTER-FACE pretende questionar os princípios subjacentes ao design de interfaces. Podem existir grandes diferenças entre perspetivas artísticas, de design de produto, ou de engenharia, por exemplo. Possivelmente, a arte não tem propósito para além de si mesma, o que nos convida a deslocar o nosso modo de perceção habitual, pragmático. No entanto, muitas vezes fala-se de arte como se devesse gerar lucro comercial, resolver o desemprego, educar crianças, ou entreter as massas. Ao acolher uma diversidade de perspetivas, INTER-FACE pretende criar um espaço múltiplo que questiona as suas convergências e divergências, e o modo como se manifestam no design de interação.
 
A INTER-FACE promete quatro dias muito intensos. Poder-se-ão ver interfaces concebidos para os mais diversos contextos, atuando mediante instrumentos acústicos, ondas cerebrais, impulsos musculares, a posição de um peixe num aquário, gelo a derreter, tecido têxtil, água... para nomear alguns exemplos. Haverá performances sonoras e visuais de todo o tipo, desde a chamada música experimental, passando pela música ambiental e o noise, até música de dança.
 
O Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado acolhe as instalações e uma performance. A Faculdade de Belas Artes acolhe as comunicações orais e um workshop. O IADE acolhe os outros workshops. A Escola de Música do Conservatório Nacional e a ZDB acolhem as performances. O Conservatório também acolhe a sessão de posters e demonstrações.




Atividades

    2014-11-20
    2014-11-23

    17h30
    21h00
    LIVE INTERFACES
Ver todas as atividades 1

Em Exibição

CAIS Urbana

Curadoria: Mistaker Maker
Exposição comemorativa dos 25 anos da Associação CAIS
Exposição temporária

Inês Norton.

Please [do not] touch

2019-06-28
2019-10-27
Curadoria: Adelaide Ginga e Emília Ferreira
Esta exposição de Inês Norton sublinha a necessidade de recuperar a plena consciência do corpo, sob pena de perdermos o essencial do que é ser humano
Exposição individual

Henrique Vieira Ribeiro. O Arquivista. Projeto CT1LN: parte II

2019-06-19
2019-09-15
Curadoria: Adelaide Ginga
Exposição interactiva que consiste na Parte II do Projecto CT1LN, um projecto artístico que teve por mote o espólio de um rádio amador. A segunda parte, que aqui se apresenta, deixa ao público a exploração do tema
Exposição individual

Rui Macedo. (In)dispensável ou a pintura que inquieta a colecção do museu

2019-05-14
2019-09-29
Curadoria: Emília Ferreira
Recordando-nos que um artista é um caçador-recolector, um respigador de sentidos, de formas, problemas e propostas, esta exposição relembra-nos que um museu é um local de constante e inquietante descoberta.
Exposição temporária

A incontornável tangibilidade do livro ou o ANTI-LIVRO

2019-03-22
2019-08-04
Curadoria: Luis Alegre e Adelaide Ginga
Materialmente estimulante, imaterialmente ilimitado, o Livro é talvez, o objeto dos objetos
Exposição Coletiva

ARTE PORTUGUESA. RAZÕES E EMOÇÕES

2018-04-20
2019-10-27
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Emília Tavares, Emília Ferreira
A presente exposição da coleção abrange grande parte do seu arco temporal, desde meados do século XIX até à década de 80 do século XX ocupando a totalidade das galerias da Ala da rua Serpa Pinto
Exposição da coleção