Juan Muñoz, Sem título, 1983. Corretor sobre fotografia. Fot. José Manuel Costa Alves. Col. SILD
Juan Muñoz, Sem título, 1983. Corretor sobre fotografia. Fot. José Manuel Costa Alves. Col. SILD

Atrium

Entrada Livre

Ciclo Colecionar Arte

Conversas a partir de coleções particulares. Julião Sarmento e Sérgio Mah

2018-10-10
2018-10-10

A Direção dos Amigos do Museu do Chiado e o Instituto de História da Arte, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, convidam para a 18ª sessão do Ciclo Colecionar Arte a realizar dia 16 de outubro, às 18h30, no MNAC-MC.

Nesta sessão, vamos conhecer a coleção SILD, a coleção de arte contemporânea de Julião Sarmento que, em conversa com Sérgio Mah, nos darão a conhecer como foi reunida, as principais orientações estéticas e a sua singularidade.

A coleção SILD é uma coleção de artista, a coleção que o artista Julião Sarmento reuniu ao longo de quatro décadas, período que coincide com o da sua trajetória artística. A coleção conta atualmente com mais de 1000 obras, entre pintura, desenhos, instalações, esculturas, fotografias e vídeos de mais de 100 artistas, onde se encontram muitas das figuras mais relevantes do panorama da arte contemporânea em Portugal (Fernando Calhau, António Palolo, Pedro Cabrita Reis, etc.) e no estrangeiro (Juan Muñoz, Joseph Beuys, Cindy Sherman, John Baldessari, Gerhard Richter, etc.).

Uma parte muito significativa destas obras testemunham a rede de contactos e de colaborações artísticas, de amizades e de afinidades que Julião Sarmento foi tecendo ao longo da sua carreira artística. Neste sentido, é uma coleção que configura uma perspetiva, através do olhar de um dos seus protagonistas, sobre as tendências e as transformações estéticas e concetuais, mas também materiais e técnicas, que foram marcando o curso da arte contemporânea desde meados da década de 60.                       

 

Julião Sarmento

Nasceu em Lisboa, em 1948, e vive e trabalha no Estoril. Estudou Pintura e Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa.
No decorrer da sua carreira, utilizou uma enorme variedade de meios – pintura, escultura, fotografia, filme, vídeo e instalação e realizou inúmeras exposições individuais e coletivas tanto em Portugal como no estrangeiro.
Julião Sarmento representou Portugal na 46ª Bienal de Veneza (1997). Foi incluído nas Documentas 7 (1982) e 8 (1987); nas Bienais de Veneza de 1980 e 2001 e na Bienal de São Paulo de 2002. O seu trabalho está representado em diversas coleções públicas e privadas na Europa, América do Norte, América do Sul e Japão.

www.juliaosarmento.com








Atividades

    2018-10-16 18h30
    A coleção SILD de Julião Sarmento. À conversa com Sérgio Mah
Ver todas as atividades 1

Em Exibição

VIRGÍNIA LOPES DE MENDONÇA (Lisboa, 1881-1969)

2018-10-12
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Sobrinha dileta de Columbano, Virgínia Lopes de Mendonça destaca-se como escritora de livros infantis
Exposição Permanente

O poder da imagem

2018-10-12
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Estes retratos de artistas, poderosos em sensibilidade e qualidade técnica, destacam-se pelo seu carácter inédito.
Exposição da coleção

Carlos Relvas (1838-1894) - Vistas Inéditas de Portugal

A Fotografia nos Salões Europeus

2018-09-27
2019-01-20
Curadoria: Victor Flores, Ana David Mendes, Denis Pellerin, Emília Tavares
Esta exposição revela um dos períodos menos conhecidos da fotografia de Carlos Relvas e um conjunto considerável e inédito de provas originais em albumina
Exposição temporária

SALOMÉ LAMAS, EXTINÇÃO, 2018

2018-09-21
2018-11-25
Curadoria: Emília Tavares
O mais recente filme de Salomé Lamas, Extinção aborda a problemática das fronteiras na atual Rússia e o latente conflito que algumas destas regiões mantêm, sob o peso da história da ex-URSS.
Exposição individual

José Pedro Cortes. Um realismo necessário

2018-06-28
2018-10-28
Curadoria: Nuno Crespo
Em Um Realismo Necessário, José Pedro Cortes renova a sua forma de olhar para a matéria e a superfície do nosso tempo a partir de um conjunto de fotografias que revelam o seu interesse na representação do corpo
Exposição individual

ARTE PORTUGUESA. RAZÕES E EMOÇÕES

2018-04-20
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Emília Tavares, Emília Ferreira
A presente exposição da coleção abrange grande parte do seu arco temporal, desde meados do século XIX até à década de 80 do século XX ocupando a totalidade das galerias da Ala da rua Serpa Pinto
Exposição da coleção