NIKOLAI NEKH Calcanhar de Aquiles, 2018
NIKOLAI NEKH Calcanhar de Aquiles, 2018

Sala SONAE

entrada: Condições Gerais

NIKOLAI NEKH. CALCANHAR DE AQUILES, 2018

2018-06-22
2018-09-09
Curadoria: Sandra Vieira Jürgens
NIKOLAI NEKH

Calcanhar de Aquiles

A partir da dimensão do tempo longo, em Calcanhar de Aquiles, Nikolai Nekh empreende uma viagem narrada em off por uma figura fantasmagórica, que vai visitando diferentes contextos civilizacionais, sociais, políticos, económicos e ideológicos para tecer uma análise especulativa sobre a inter-relação entre as
indústrias e tecnologias – as matérias-primas e os recursos energéticos disponíveis –, com a representação do movimento.
No vídeo, o artista convoca a história clássica, o colapso das cidades-estado gregas, referências losócas, como a Caverna de Platão, e arquitectónicas como o Partenon e o Taj Mahal, mas também a emergência dos poderes imperiais antigos e modernos, o colonialismo, a invenção da máquina a vapor e a exploração petrolífera na Sibéria. Neste quadro evocativo, Aquiles e o seu calcanhar adquirem um peso simbólico determinante, transpondo a vulnerabilidade e fragilidade do herói grego para a narrativa histórica do progresso tecnológico e industrial.
Distanciando-se quer de uma visão optimista, quer de um olhar fatalista sobre a acção humana, Calcanhar de Aquiles é uma refexão sobre a relação entre o homem e a natureza, as consequências das possibilidades técnicas sobre os equilíbrios sociais, a sustentabilidade económica e ecológica na evolução
da humanidade e a sua importância e signicado actuais.
E é também uma obra que interpela o espectador, solicitando-lhe a releitura do mito e a reflexão sobre as matérias da história e as matérias da imagem.

Sandra Vieira Jürgens


Atividades

    2018-06-21
    2018-09-09

    19h00
    Nikolai Nekh. Calcanhar de Aquiles
Ver todas as atividades 1

Em Exibição

VIRGÍNIA LOPES DE MENDONÇA (Lisboa, 1881-1969)

2018-10-12
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Sobrinha dileta de Columbano, Virgínia Lopes de Mendonça destaca-se como escritora de livros infantis
Exposição Permanente

O poder da imagem

2018-10-12
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Estes retratos de artistas, poderosos em sensibilidade e qualidade técnica, destacam-se pelo seu carácter inédito.
Exposição da coleção

Carlos Relvas (1838-1894) - Vistas Inéditas de Portugal

A Fotografia nos Salões Europeus

2018-09-27
2019-01-20
Curadoria: Victor Flores, Ana David Mendes, Denis Pellerin, Emília Tavares
Esta exposição revela um dos períodos menos conhecidos da fotografia de Carlos Relvas e um conjunto considerável e inédito de provas originais em albumina
Exposição temporária

SALOMÉ LAMAS, EXTINÇÃO, 2018

2018-09-21
2018-11-25
Curadoria: Emília Tavares
O mais recente filme de Salomé Lamas, Extinção aborda a problemática das fronteiras na atual Rússia e o latente conflito que algumas destas regiões mantêm, sob o peso da história da ex-URSS.
Exposição individual

José Pedro Cortes. Um realismo necessário

2018-06-28
2018-10-28
Curadoria: Nuno Crespo
Em Um Realismo Necessário, José Pedro Cortes renova a sua forma de olhar para a matéria e a superfície do nosso tempo a partir de um conjunto de fotografias que revelam o seu interesse na representação do corpo
Exposição individual

ARTE PORTUGUESA. RAZÕES E EMOÇÕES

2018-04-20
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Emília Tavares, Emília Ferreira
A presente exposição da coleção abrange grande parte do seu arco temporal, desde meados do século XIX até à década de 80 do século XX ocupando a totalidade das galerias da Ala da rua Serpa Pinto
Exposição da coleção