MNAC - Rua Capelo

entrada: Condições Gerais

Sarah Affonso. Os dias das pequenas coisas

2019-09-13
2020-03-22
Voltar ao Programa

Atividades

2019-09-24

10h00
12h30
Conversas Sobre Sarah Affonso

Conversas Sobre Sarah Affonso

 

Dia 24 de setembro, no âmbito das duas exposições sobre Sarah Affonso (Sarah Affonso. Os dias das pequenas coisas, MNAC; Sarah Affonso e a Arte Popular do Minho, FCG), haverá um encontro para abordar vários aspectos da obra da artista.

O encontro de um dia decorrerá no MNAC, Sala Polivalente (10-12h30) e na Fundação Calouste Gulbenkian, (14h30-17h), átrio da Biblioteca de Arte e contará com a presença de vários investigadores.


Programa da manhã, 10h00-12h30. MNAC


10h00

Raquel Henriques da Silva

“Um projecto exemplar: Exposições e livro Sarah Affonso. Os dias das pequenas coisas. MNAC e Museu Calouste Gulbenkian”

Artista referencial do Modernismo Português, envolvida numa aura decetiva pela sua decisão de abandono da pintura para se dedicar à família, Sarah Affonso conhece finalmente uma obra que celebra e problematiza com grande amplitude o seu percurso peculiar. Abordarei o que mais me interessou nos diferentes estudos apresentados no livro e que as exposições confirmam: a energia plástica do seu ciclo de retratista e a absoluta originalidade da sua pintura de inspiração popular. Entre Paris e o Minho, Sarah, de modo pessoal, retomou os trilhos que interessarem Amadeo de Souza Cardoso 20 anos antes.


Raquel Henriques da Silva é professora de História da Arte na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.


10h30

Maria João Gomes Pedro

“O meu percurso na descoberta de Sarah Affonso”

Na sequência da proposta de leitura, feita pela Professora Cristina Azevedo Tavares,  Conversas com Sarah Affonso,  procurámos conhecer melhor a mulher e a artista. Assim, fomos ao encontro dos lugares onde viveu, para entender melhor as suas palavras escritas ou narradas a outros, fontes quanto a nós essenciais para a compreensão e entendimento de Sarah como pessoa, expressa na individualidade da sua obra.


Maria João Catarino Gomes Pedro. Bacharel em Educador de Infância, pela Escola de Educadoras de Infância, 1964. C.E.S.E na E.S.E.I Maria Ulrich em “Educação Ética e Estética na Criança e no Adolescente”, 1994. Mestrado em Teorias da Arte na FBAUL, 2003, com a dissertação de Mestrado “Sarah Affonso Vida e Obra”. Docente de Pedagogia de 1ª Infância durante mais de 30 anos na Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich.


11h00 – Pausa para café


11h30

João Gomes da Silva

"Quinta Lameirinha: o Lugar decantado"

A Quinta da Lameirinha é o Lugar escolhido de Sarah Afonso e Almada Negreiros. O Lugar onde constroem a sua outra morada, o atelier isolado, talvez a reminiscência  do Minho rural. A Lameirinha não é uma Quinta nos sentidos agrário e urbano do termo, mas o espaço escolhido para o descanso produtivo que ali parece encontrado Lugar. É um Lugar que não se projectou antecipadamente, mas que sucessivamente se construiu por adições diversas: a casa, o alpendre, a fonte, o atelier, o pomar, o tanque… A Quinta da Lameirinha é um Lugar minuciosamente construído, sem projecto que se conheça, como que decantando lentamente as pulsões, necessidades, encantamentos, que do Sítio o transformaram em Lugar.


João Gomes da Silva é Arquiteto-paisagista, formado pela Universidade de Évora em 1987. Vive e trabalha em Lisboa, no atelier criado com Inês Norton, sua mulher e colega. É docente da Accademia de Architettura, Mendrisio, e da Universidade Autónoma, Lisboa.