Atrium

Entrada Livre

Otelo e Desdémona

Nos palcos da paixão

2020-08
Voltar ao Programa

Atividades

2020-05-27

16h30
17h30
"Otelo, o 'abusador do mundo': Uma introdução ao orientalismo" por Everton V. Machado
CICLO DE PALESTRAS. ORIENTALISMO NA ARTE E NA LITERATURA

Otelo, o “abusador do mundo”: Uma introdução ao orientalismo por Everton V. Machado (Universidade Católica Portuguesa)

O Serviço Educativo do MNAC organiza um ciclo de palestras em torno da exposição "Otelo e Desdémona. Nos Palcos da Paixão". A primeira destas conversas decorrerá no dia 27 de maio, entre as 16h30 e as 17h30, no átrio do MNAC, na Rua Serpa Pinto e o primeiro palestrante será Everton V. Machado (Universidade Católica Portuguesa), que falará sobre Otelo, o “abusador do mundo”: Uma introdução ao orientalismo.


Data: 27 de maio.
Horário: 16h30-17h30
Local: Átrio do MNAC, Rua Serpa Pinto, nº 4.
Lotação: máximo de 10 pessoas

COMISSÃO CIENTÍFICA: Emília Ferreira (MNAC/IHA/FCSH/NOVA), Rogério Miguel Puga (CETAPS/FCSH/NOVA), Everton V. Machado (Universidade Católica Portuguesa), Joana d'Oliva Monteiro (IHA/FCSH/NOVA), Fátima Faria Roque (MNAC/IELT/FCSH/NOVA), Maria de Aires Silveira (MNAC).
Organização: MNAC









2020-06-03

16h30
17h30
"Otelo e Desdémona. Nos palcos da paixão" por Maria de Aires Silveira.
CICLO DE PALESTRAS. ORIENTALISMO NA ARTE E NA LITERATURA

Otelo e Desdémona. Nos palcos da paixão por Maria de Aires Silveira.
Curadora no Museu Nacional de Arte Contemporânea, desde 1989. Dedica-se muito especialmente ao estudo de temáticas e autores oitocentistas, e de inícios do século XX. Licenciou-se em História, e obteve o Grau de Mestre em História de Arte, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Abordando uma cena de pintura dramática, próxima de um desfecho fatal, inspirada na peça de William Shakespeare, e da autoria do pintor espanhol Muñoz Degrain, a curadora da exposição irá revelar aspectos da história desta obra, significativa pela expressividade das figuras e objectos, e reveladora de uma modernidade particular. A sua aquisição, em 1881, testemunha o bom relacionamento cultural entre Portugal e Espanha, e a doação, no ano seguinte, ao Estado português, pelo Visconde Soares Franco, valoriza uma rara atitude de sensibilidade mecenática.



Data: 03 de junho
Horário: 16h30-17h30
Local: Átrio do MNAC, Rua Serpa Pinto, nº 4.
Lotação: máximo de 10 pessoas

COMISSÃO CIENTÍFICA: Emília Ferreira (MNAC/IHA/FCSH/NOVA), Rogério Miguel Puga (CETAPS/FCSH/NOVA), Everton V. Machado (Universidade Católica Portuguesa), Joana d'Oliva Monteiro (IHA/FCSH/NOVA), Fátima Faria Roque (MNAC/IELT/FCSH/NOVA), Maria de Aires Silveira (MNAC).
Organização: MNAC